sábado, 17 de agosto de 2013

VIVA COM MAIS SAÚDE

Vamos falar sobre reumatismo:
O reumatismo, que muito ouvimos no nosso cotidiano, é um termo genérico e com pouco significado, que se refere a um grupo de doenças que normalmente acometem nosso sistema locomotor, ou seja, nossas articulações (juntas), músculos e esqueleto. Porém, podem também acometer outros órgãos como coração, pulmões e rins. Existem mais de cem doenças que podemos classificar como reumáticas, portanto não é correto usar o termo "ter" reumatismo e sim "qual" reumatismo.

Diferente do que a maioria das pessoas pensa, as doenças reumáticas não são uma exclusividade das pessoas idosas. Existem doenças que realmente acometem mais essa faixa etária avançada, mas outras podem acometer adultos jovens, adolescentes e até crianças; algumas apresentam uma maior tendência em atacar mulheres, outras homens e outras ainda não têm relação com o gênero. 

Importante lembrarmos que os sintomas podem ser os mais variados, porém dores, inchaço nas articulações e dificuldade de executar movimentos são muito comuns a uma grande parte das doenças reumáticas. Algumas dessas doenças são mais raras na população de uma forma geral, porém outras sabemos que têm um maior acometimento populacional. Dentre as mais comuns destacamos a osteoartrite, mais conhecida como artrose, a osteoporose, a gota e a fibromialgia.

A artrose se caracteriza por acometer nossas articulações e é o resultado de um processo de desgaste que ocorre com o passar dos anos, costuma ocorrer em pessoas de mais idade, mas novamente lembramos que não é exclusiva. Os locais mais acometidos são joelhos, quadris, coluna e mãos. Porém outras articulações podem ser acometidas e seu diagnóstico normalmente se faz com o exame clínico, complementado, quando necessário, com radiografia.

A gota é uma doença que preferencialmente atinge mais os homens, se caracteriza por apresentar crises eventuais de inflamação nas articulações, causando muita dor e inchaço no local acometido. Está diretamente relacionada com os níveis de acido úrico no sangue e pode estar envolvida até com formação de cálculos renais. 

Já a osteoporose se caracteriza por uma fragilidade nos ossos do corpo chegando, nos casos graves, a ocorrer fraturas espontâneas ou por um mínimo trauma. É mais comum em mulheres após a menopausa, mas podemos ter homens também com sintomas. O fumo, o consumo de bebidas alcoólicas, a genética individual e o uso de certos medicamentos são fatores que favorecem o aparecimento e o agravamento dessa doença. Ressaltamos que normalmente a osteoporose não causa dor quando não há fraturas, mas é importante ser diagnosticada e tratada precocemente para evitar complicações. O principal exame utilizado para pesquisar essa doença é a densitometria óssea.

Por fim, temos a fibromialgia, uma doença que tem sido mais diagnosticada nos últimos anos e que apresenta, como principal sintoma, dores no corpo sem uma localização definida. É muitas vezes relatada pelos que sofrem com ela como uma "dor na carne". Muitas vezes os sintomas estão acompanhados de dores de cabeça, irritação, depressão, alteração da qualidade do sono, fadiga entre outros. Algumas vezes o diagnóstico demora a ser feito, pois não existem exames específicos que definam essa doença. Uma avaliação para afastar outras causas que possam ter os sintomas parecidos deve ser feita de uma maneira geral, porém o diagnóstico definitivo da fibromialgia é basicamente clínico.

Abordamos aqui alguns tipos de doenças reumáticas, como já dissemos existem muitas outras e de gravidade variável. Com isso, é importante sempre na suspeita desse tipo de doença buscar a opinião de um clínico geral, que poderá fazer uma avaliação inicial das queixas, ou até mesmo de um reumatologista. Ele é o profissional apto para realizar uma avaliação clínica específica e solicitar exames quando julgar necessário.
Lembramos que essas doenças costumam ser crônicas, mas um diagnóstico precoce sempre é o ideal para evitarmos complicações e sequelas que por vezes podem ser irreversíveis. 

O reumatismo, que muito ouvimos no nosso cotidiano, é um termo genérico e com pouco significado, que se refere a um grupo de doenças que normalmente acometem nosso sistema locomotor, ou seja, nossas articulações (juntas), músculos e esqueleto. Porém, podem também acometer outros órgãos como coração, pulmões e rins. Existem mais de cem doenças que podemos classificar como reumáticas, portanto não é correto usar o termo "ter" reumatismo e sim "qual" reumatismo.

Diferente do que a maioria das pessoas pensa, as doenças reumáticas não são uma exclusividade das pessoas idosas. Existem doenças que realmente acometem mais essa faixa etária avançada, mas outras podem acometer adultos jovens, adolescentes e até crianças; algumas apresentam uma maior tendência em atacar mulheres, outras homens e outras ainda não têm relação com o gênero. 

Importante lembrarmos que os sintomas podem ser os mais variados, porém dores, inchaço nas articulações e dificuldade de executar movimentos são muito comuns a uma grande parte das doenças reumáticas. Algumas dessas doenças são mais raras na população de uma forma geral, porém outras sabemos que têm um maior acometimento populacional. Dentre as mais comuns destacamos a osteoartrite, mais conhecida como artrose, a osteoporose, a gota e a fibromialgia.

A artrose se caracteriza por acometer nossas articulações e é o resultado de um processo de desgaste que ocorre com o passar dos anos, costuma ocorrer em pessoas de mais idade, mas novamente lembramos que não é exclusiva. Os locais mais acometidos são joelhos, quadris, coluna e mãos. Porém outras articulações podem ser acometidas e seu diagnóstico normalmente se faz com o exame clínico, complementado, quando necessário, com radiografia.

A gota é uma doença que preferencialmente atinge mais os homens, se caracteriza por apresentar crises eventuais de inflamação nas articulações, causando muita dor e inchaço no local acometido. Está diretamente relacionada com os níveis de acido úrico no sangue e pode estar envolvida até com formação de cálculos renais. 

Já a osteoporose se caracteriza por uma fragilidade nos ossos do corpo chegando, nos casos graves, a ocorrer fraturas espontâneas ou por um mínimo trauma. É mais comum em mulheres após a menopausa, mas podemos ter homens também com sintomas. O fumo, o consumo de bebidas alcoólicas, a genética individual e o uso de certos medicamentos são fatores que favorecem o aparecimento e o agravamento dessa doença. Ressaltamos que normalmente a osteoporose não causa dor quando não há fraturas, mas é importante ser diagnosticada e tratada precocemente para evitar complicações. O principal exame utilizado para pesquisar essa doença é a densitometria óssea.

Por fim, temos a fibromialgia, uma doença que tem sido mais diagnosticada nos últimos anos e que apresenta, como principal sintoma, dores no corpo sem uma localização definida. É muitas vezes relatada pelos que sofrem com ela como uma "dor na carne". Muitas vezes os sintomas estão acompanhados de dores de cabeça, irritação, depressão, alteração da qualidade do sono, fadiga entre outros. Algumas vezes o diagnóstico demora a ser feito, pois não existem exames específicos que definam essa doença. Uma avaliação para afastar outras causas que possam ter os sintomas parecidos deve ser feita de uma maneira geral, porém o diagnóstico definitivo da fibromialgia é basicamente clínico.

Abordamos aqui alguns tipos de doenças reumáticas, como já dissemos existem muitas outras e de gravidade variável. Com isso, é importante sempre na suspeita desse tipo de doença buscar a opinião de um clínico geral, que poderá fazer uma avaliação inicial das queixas, ou até mesmo de um reumatologista. Ele é o profissional apto para realizar uma avaliação clínica específica e solicitar exames quando julgar necessário.
Lembramos que essas doenças costumam ser crônicas, mas um diagnóstico precoce sempre é o ideal para evitarmos complicações e sequelas que por vezes podem ser irreversíveis.